domingo, 4 de março de 2012

Marcinha Gonçalves : Entrevista no H & F Support

Dias antes de embarcar para o Arnold Classic 2012, entrevistei atleta Márcia Gonçalves para o blog. Durante um  papo quase sem cara de entrevista e informal, acabei perguntado para ela, assuntos que sempre comentamos entre nós como “controversos”no meio do culturismo e da musculação. A entrevista foi-me  entregue na semana passada,  e por pura falta de tempo e compromissos só a consegui revisar ontem com a ajuda de uma grandeeeeee amiga (hehe!). A maior surpresa de todas foi que ontem foi anunciada a sua colocação em SEGUNDO lugar , em sua categoria, um excelente resultado para essa nossa grande atleta e amiga. Parabéns Márcia Gonçalves. Com voces a entrevista...




1)    1)Ola Márcia e um prazer tê-la aqui no H & F Support. Você sabe, já que nunca escondi o fato de você ser umas das minhas atletas nacionais favoritas e logo, estou sempre na sua torcida e acompanhando o seu trabalho...  Diga para os leitores, um pouco de como é esse “way of life” de ser bodybuilding, atleta desta, que ainda não é uma popular modalidade, em um país que você ganha mais status no meio e realização pessoal, do que retorno financeiro propriamente dito. Você acredita em atletas “instantâneas” do momento ou você acha que quem nasceu pra isso, não mede consequência e leva isso aos extremos?

Marcinha: O prazer é meu e primeiramente muito obrigada por me dar esse espaço para as pessoas poderem conhecer um pouco mais da Márcia Atleta e obrigada também por estar na torcida, fico muito feliz, de coração. Bem, vamos lá, na verdade não é fácil, não é fácil ser atleta no Brasil a não ser que seja de futebol, ser atleta de bodybuilding então é complicadíssimo porque ainda existe certo preconceito em relação ao esporte e a minha modalidade então, acho que não da pra falar muito porque é relativamente nova lá fora e aqui no Brasil, mas acho que tem tudo pra dar certo o complicado mesmo é entrar no padrão da categoria que pede um corpo mais fino, quase ausente de músculos.
Não acredito em atletas de momento. Sei que tudo que é novo enche os olhos, mas esses "Atletas" na maioria das vezes não seguem adiante quando topam com o primeiro desafio. No meu caso, por exemplo, quem não me conhece acha que estou iniciando agora, mas eu já venho de uma longa batalha, de altos e baixos, e nunca desisti porque nasci para ser atleta, vim predestinada a isso, e faço não pelo momento e nem por modinha faço porque é o que faz o meu coração vibrar em uma intensidade mais alta. É minha vida!

2) Quem nasceu pra lagartixa, realmente nunca chega a jacaré? (Diomar P. Guedes). Qual o conselho para as meninas iniciantes e mesmo mulheres que estão se interessando por todo esse universo e tem em você e outras atletas a inspiração para começarem a se preparar e tornar-se PRO.   

Marcinha: Dedicação, disciplina, fé e muita força de vontade! Não existe receita mágica para ser um bom atleta. Tem que dar o seu melhor, treinar muito, alimentar direito e ser sério no que faz. Tudo bem que tem a variável genética, mas isso não é tudo! É um fator que ajuda muito, mas não adianta genética sem preparação séria. Em relação às iniciantes o meu conselho é: treinem muito, sejam dedicadas, entrem de cara, pois esse esporte é maravilhosamente lindo! Sou suspeita de falar sobre, rs.



3)      Quais foram os reais autos e baixos da sua carreira como atleta? Sabemos que além de atleta você é modelo em seu estado, assim como também profissional da educação física, (professora e personal trainer), certo? Como é toda essa vida agitada e como consegue conciliar tudo?


Marcinha: Toda pessoa, atleta ou não, tem seus altos e baixos na vida. Comigo não foi diferente... Coisas que normalmente acontecem, de se preparar muito bem e chegar e não ter um reconhecimento, a falta de patrocínio (algo muito difícil no Brasil), no inicio não ter um profissional para me orientar, essas coisas... Mas nada que me fizesse desistir, rs. Estive um período na minha vida parada, quando perdi meu irmão, isso me baqueou, mas como ele era meu maior incentivador, levantei a poeira, voltei e hoje dedico tudo a ele. Onde ele estiver sei que estará feliz por eu ter dado continuidade. Ele falava que eu tenho brilho e que brilharia muito ainda. Sigo em frente acreditando nas palavras dele.
Em relação aos trabalhos de modelo eu curto, é bacana, mas só brinco disso. Não levo muito jeito não, rsrs. Agora.. a área de minha formação é Educação física com bacharelado e licenciatura. Amo! Simplesmente amo oque escolhi fazer e te falo: parece ser muita coisa, mas da tempo de fazer tudo e estou feliz. Não trocaria o que faço por nada desse mundo.

4)      Vamos polemizar: Atletas se preparam suam a camisa e são a verdadeiras “cobaias” e descobridores de métodos de treinamento, de testes de suplementos, de exemplos de auto-superação e limite de determinação e forca de vontade do ser humano. Atleta (nesse caso especifico os bodybuilding), mas também os de outras modalidades, também grandes consumidores, faz das tripas coração nas ultimas décadas para conciliar, popularizar e ensinar (no caso de preparadores e professores) as pessoas os benefícios da musculação e derrepente têm marcas de suplementos patrocinando estúpidas (sim! eu usei a palavra: estúpidas) celebridades da televisão, enquanto os grandes consumidores e incentivadores reais do uso de suplementação são deixados ao relento sem apoio pra se preparar e em muitos casos bancando toda sua preparação e dieta, ainda mais no Brasil, onde suplementos são muito mais caros do que nos EUA o principal mercado do mundo.  E aí? O que dizer?

Marcinha: Eu digo que essa galera do Brasil tem que aprender muito ainda, mudar seu plano de Marketing sobre a venda dos seus produtos. Eles usam imagens da moda para ter um retorno melhor. Só que hoje as pessoas não são mais leigas como antes e sabem quem realmente usam os produtos. E não são esses tipos de pessoas que na maioria das vezes são patrocinadas por certas marcas. Essas pessoas ao invés de treinarem e se alimentarem corretamente, preferem fazer milhares de cirurgias e viver em clinicas de estética. O que tenho a dizer sobre isso? Vou usar só uma palavra, posso? Vergonhoso!  

5)      Outro dia você publicou em sua pagina pessoal que em alguns dias você iria embarcar num vôo que tinha como destino a realização de um sonho. Sabemos que você se referia a sua participação no Arnold Classic. Conte-nos como está sua cabeça em relação a tudo isso? Explique para os leitores que ainda não sabem muito sobre esse universo a importância desse evento para as pessoas envolvidas com culturismo. Quais as suas expectativas?

Marcinha: Minha cabeça? Completamente focada, estou tranqüila. Só de ir já estou me sentindo mais feliz do que eu era, me sentindo realizada. Vou continuar assim, porque me preparei, fiz minha parte com toda determinação e carinho do mundo. Sou Eu e Deus! Fiz minha parte e o restante seja o que Ele quiser, porque é nosso grande papai do Céu que manda. Vamos ver... Estou confiante e segura. Se não for é porque não era pra ser, mas estou indo acreditando que vai  ser... Para os que não têm idéia do que é esse evento, é um dos mais importantes do Bodybuilding. Um evento grandioso e muito respeitado. Estou indo para fazer o meu melhor.

6)      Ainda no tema expectativas, mas agora, quais as expectativas que você tem aqui no Brasil, por estar indo para um evento desse porte? Te abrirá portas, etc. ? Ou você também acha que o caminho está mesmo em outros países, e que em nosso país a coisa ainda é muito underground e não se podem depositar muitas fichas no nosso mercado nacional?
 

Marcinha: Isso ainda é uma incógnita pra mim. Não sei o que pode acontecer aqui.  Isso aqui é uma caixinha de surpresas. Já me frustrei muito aqui. E também já fui bem feliz na minha carreira, portanto, não da responder, você me entende? rs

7)      O que você acha sobre o padrão exigido na competição? Sei que houve muita polêmica em Santos no evento que você participou devido à discrepância entre padrão da campeã aqui e dos USA, na qual você se encontrava muito mais próxima... Como foi pra você se adaptar a esse novo padrão?
 
Marcinha :Olha vou ser muito sincera...  a atleta que ganhou estava linda, mas eu me preparei para o que eu via nos vídeos de campeonatos fora. Estudei postura, padrão, tudo, perdi 6 kg e perdi massa, tentei me encaixar o mais próximo do que é exigido lá fora e deu o que deu, mas em fim, acontece!
Sobre o q acho do padrão, acho diferente de tudo que já vivi, rs rs Estou vivendo a fase mais delicada e magrinha da minha vida, me sentindo uma boneca Barbie. Não é nossa realidade, mas saber ser atleta é isso: desafiar os nossos limites. E isso não foi barreira pra mim, pois estou aqui indo para o Arnold Classic com 8 kg a menos, e estou me sentindo bem, mas louca pra passar logo e recuperar alguns quilinhos... rs. 

8)      Como foi no inicio na sua cabeça ter que olhar no espelho e dizer: “querida Marcinha, você vai ter que perder volume!” Não dá um “tilt” na cabeça e parece que você ta correndo contra a maré de tudo que tinha feito?

Marcinha:  De inicio foi punk, foi fácil não, mas como estava, ou melhor, estou muito focada, é tudo ou nada, ou você entra no padrão da categoria e vai segura, ou fica meio termo e já vai com a sensação que não vai dar certo, que vai ficar pra próxima... Quem esta na chuva é pra se molhar! Dei tchau pra Marcinha mais massudinha, rsrs, e dei boas vindas a marcinha 8 kg mais magra...rs. Seja bem-vinda Marcinha Gonçalves...rs

9)      O que você precisou mudar para se encaixar nesse novo padrão? Eu admiro você, pelo fato de ser meio que autodidata ter feito a maioria de sua carreira sem treinadores e por si só, logo como foram às mudanças em treinos, dietas, periodizações e etc., quais as mais difíceis e mais radicais?
 

Marcinha :O que mudei? Tudo. Alimentação, menos suplementos, menos carboidratos, mais proteína, ingestão de menos calorias. Nos treinos passei tudo para o treinamento funcional, muito cardio. Olha... a Marcinha está nova, e tudo está novo, cara da modalidade nova. As boas vindas a uma nova atleta... Está tudo mudado!

10)   Você já sabe quem são suas concorrentes para o grande dia? Se sim, qual seu ponto de vista sobre o que te espera? Tem receio das famosas “panelas” e do eterno “bairrismo” em prol das atletas americanas? 


Marcinha: Andei estudando algumas e sinceramente não me intimidei. São lindas e estão preparadas, mas eu também estou. 90% são loiras, acho que isso me da certo destaque, por ser diferente delas. Serei notada com certeza, rsrs. Mas olha, eu estou indo acreditando e bem confiante senão não faz sentido ir. Tem que acreditar. O pensamento é uma maquina poderosa. Você tem que acreditar e se você fez tudo certo então, não tem porque ir com medo... Em relação as panelas, acho que sempre têm, mas vamos torcer para ser tudo justo.


11)   Quais foram os maiores desafios dessa preparação? É bem difícil um atleta aqui custear tudo isso? Existe algum patrocinador em contato?

Marcinha : Nossa!! É um esporte caro, ainda mais que na categoria Bikini que tem a produção, bikini, sandália, acessórios, muita coisa. Os gastos são grandes! Tive algumas dificuldades, pessoas que furaram comigo na minha produção foi uma delas. Na confecção do meu bikini, fiquei na mão bem na véspera, mas ai eu dei meu jeitinho e eu mesma fiz meu bikini e posso dizer que ficou lindo! Feio não vou fazer! Ele ficou a minha cara e confeccionado por mim. Tenho certeza que vão curtir.
Sobre patrocínio, eu recebo o apoio da Universal, que quero agradecer muito por ter acreditado em mim. Estou muito feliz com essa parceria e prometo dar muito orgulho a eles.

12)   Obrigado Márcia, mais uma vez obrigado! É um grande prazer ter você dividindo um pouco da sua história de atleta conosco. Parabéns pelas conquistas e desejo toda a sorte do mundo na competição para você. O espaço é todo seu para qualquer recado, reclamação, agradecimento, enfim o que quiser. Fique à vontade!

Marcinha : Obrigada a você! Quero deixar aqui todo o meu agradecimento pelo carinho daqueles que estão torcendo por mim. São amigos, colegas, conhecidos e muita gente que não me conhece pessoalmente, mas que admira meu trabalho. Espero poder fazer bonito e trazer a medalha! Seja o que Deus quiser, pois fiz minha parte da melhor forma possível e se Deus achar que sou merecedora da vitória, Ele me dará... Torce ai galera... Beijos com muito carinho e mais uma vez, obrigada!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário