quinta-feira, 7 de julho de 2011

Se você tem uma desculpa não dê


                  Na hora de fazer a tal “dieta”,  umas das grandes desculpas entre as mais “votadas” é o fato de que as principais refeições do dia, você faz na rua não tem muito tempo pra isso, ou segundo que comer na rua é muito trabalhoso, afinal você tem que carregar os famosos “marmitex” ou “quentinhas” (na maioria dos casos friazinhas melhor dizendo !)...
                 Bem vamos lá, colocarei em “xeque” ambas as alternativas assim como lhes apresentarei de forma simples e objetiva, que tais prerrogativas não são de fato verdadeiras.
             Imaginem a seguinte situação. Na cidade de São Paulo, na região central, 3 amigos após o curso de pós-graduação , vão até  um restaurante juntos  para almoçar. Todos têm uma boa noção de alimentação saudável e necessária. Entendem  razoavelmente  sobre macro e micronutrientes, já que todos são profissionais na área da saúde, e tem conhecimento específico à respeito do tema referido.
           Chamaremos os pelas letras A, B e C. O restaurante serve comida por kilo, com a opção de pedir para que alguma carne seja grelhada na hora, ou retirada da churrasqueira. O cardápio é variado com opções de pratos diversas como todo restaurante do gênero agradando literalmente o paladar de gregos troianos. A e B são indivíduos com características parecidas, mesmo sexo, altura, IMC aproximado e mesma idade. A tem uma rotina de treinos regrada, assim como C, B atualmente não pratica nada com habitualidade. C é do sexo oposto, mais alta e mais nova, além de ser vegetariana. Nota-se então algumas variáveis entre os 3.
           O restaurante tem valor fixo de R$ 23,00 por kilo. Assim que se acomodaram vão logo se servir, 5 minutos depois voltam já com seus pratos feitos e prontos para refeição.

          A teve o prato no valor de R$ 10,25. E seu prato continha:

·         Batata Inglesa soute (250 gms)
·         Frango grelhado (200 gms)
·         Saladas de folhas diversas

Ele não usou sal ou temperos extras, apenas uma colher de azeita extra virgem na salada.

      B teve o prato no valor de R$ 21,00. E seu prato continha:

·         Lazanha
·         Pastel
·         Arroz Branco
·         Bolinho de queijo frito
·         Lingüiça frita
·         Raviolli
·         Saladas
·         Banana frita





B teve um gasto extra de R$ 3,00, por ter pedido um refrigerante. Abusou de todos os molhos na salada e ainda colocou doses extras de sal em todo prato.

        


  C comeu a menor quantidade dos 3, pagando apenas R$ 8,25. Seu prato continha:

·         Arroz integral
·         Claras de ovos cozidos
·         Uma gema
·         Salada de agrião

C não usou temperos, apenas azeita extra-virgem na salada.

Os  três comeram , se alimentaram, a para isso tiveram a mesma opção de escolha entre uma série de alimentos. Um valor fixo que equiparou a variável de gasto para os 3. O indivíduo B nem de longe fez uma refeição equilibrada, já que misturou alimentos diversos, abusou das frituras, queijos, açucares e escolheu os com preparo mais calórico e comeu como se fosse a última refeição de um condenado a prancha em um navio pirata. Os outros 2, gastaram menos dinheiro e se alimentaram melhor, com mais qualidade e fora de casa, assim como B. Fica a ressalva de um comentário feito por B, após termino do almoço:
“Comer fora de casa é horrível né !? Você sempre come um monte de besteiras...”

         O fator tempo foi também analizado. A e C fizeram seus pratos entre 2 e 5 minutos, B demorou 15 minutos montando aquela verdadeira obra de arte moderna, com muito cores de sabores que nada combinavam entre si. Os 3 tinhas apenas 30 minutos de intervalo. A e C no total utilizaram entre 20 e 25 minutos com a refeição. B, pelo que me lembro isso foi na terça, hoje é quinta, ainda deve estar terminando seu prato agora...



      Logo, meus caros leitores, se você tem uma desculpa, não dê. Afinal você apenas ratifica, o que está subtendido. Se coloca em uma posição de desvatagem e se expõe. Você não pode afirmar o que não pode sem sequer, ter tentado.  Isso é falta de disciplina, mas também pode ser exercitado... Priorize mais seus objetivos, foque no resultado final, escolha da melhor forma, mas não se engane...

 Abraços e até a próxima.

cristiano maffra

Nenhum comentário:

Postar um comentário